ATENÇÃO!
A versão seu navegador é insegura!
Este Site, usa recursos avançados de programação, que seu navegador, por ser muito antigo, não consegue processar corretamente.
Para uma melhor experiência, e segurança, siga as recomendações abaixo.

Por favor, atualize seu navegador, ou instale as versões a seguir:

Google Chrome (recomendado) | Firefox | Internet Explorer 10 ou 11

Clique Aqui, e veja porque é importante manter seu navegador sempre atualizado

 

Hiperplasia Benigna da Próstata.

Hiperplasia Benigna da Próstata.

A Hiperplasia Benigna da Próstata – HBP é encontrada ao se constatar o aumento da próstata, e atinge mais de 90% dos homens acima de 50 anos em graus variados de crescimento e de comprometimento do esvaziamento vesical.

Hiperplasia Benigna da Próstata – O que é

A próstata envolve a uretra, o tubo que leva a urina da bexiga para fora do corpo, ou seja, distingui-se por um aumento do número de células do órgão, e consequentemente agindo na formação de nódulos na região que está em volta da uretra da próstata. Assim, quando a próstata aumenta o seu volume, pode causar obstrução parcial ou total da uretra, interferindo negativamente no curso normal da urina. Essa ação no canal uretral traz muitos incômodos miccionais, mas o pior e que essa obstrucao vai exigindo maior forca da bexiga que pode deteriorar-se ao longo do tempo e chegar ate a falencia vesical.   A hiperplasia benigna da próstata é encarada pelo leigocomo um processo normal causado pelo envelhecimento dos homens e muitos deles procuram tratamento em fase tardia demais.

Hperplasia Benigna da Próstata – Sintomas

Dificuldade iniciar a micção:

Quando a próstata tem o seu volume aumentado, há uma compressão do tubo uretral, ficando mais difícil transportar a urina da bexiga. E consequentemente fica mais difícil começar a urinar. Leva mais tempo para obter a pressão necessária para a urina passar pela restrição.

Eventualmente isso pode causar retenção urinária onde a pessoa se torna incapaz de urinar. As ondas da bexiga ficam muito mais dolorosa vindo a causar uma emergência médica com grande potencial de dano aos rins.

Iniciando, interrompendo:

Um sintoma muito frustrante da BPH é iniciar e interromper a micção. Com a pressão da próstata sobre a uretra fica difícil o fluir da urina para fora da bexiga e isso faz com que seja interrompido diversas vezes.

Pequeno fluxo de urina:

Demora muito tempo para esvaziar a bexiga devido ao fraco fluxo urinário e se gasta muito tempo em pé em frente ao mictório. Com o bloqueio parcial da uretra é muito pequeno o fluxo de urina que sai da bexiga demorando muito para esvaziá-la.

Urgência:

A urgência é um problema comum causado pela BPH que fazem com que os nervos dentro da bexiga não consigam mais passar os sinais corretos ao cérebro fazendo entender uma súbita necessidade de urinar. 


Distúrbio no sono:


Ao envelhecer fica mais difícil adormecer e permanecer dormindo e a necessidade de urinar ajuda muito a piorar este quadro de insônia. A noctúria é justamente essa condição que faz acordar duas ou mais vezes por noite para urinar. O aumento da pressão causado pela próstata faz com que se sinta a vontade de urinar quando na verdade existe muito pouco liquido para expelir.

Esforço para alcançar objetivo:

Para iniciar a micção, você pode ter que empurrar e esticar os músculos pélvicos ou os abdominais, forçando o começo do fluxo de urina. Os esforços repetidos destes músculos podem resultar em lesões do músculo do assoalho pélvico, hemorroidas, ou síncope da micção (desmaio durante ou após a micção). Se a pressão ou bloqueio aumenta, o paciente corre o risco de contrair uma infecção urinária.

Hiperplasia Benigna da Próstata – Tratamento


A HBP pode ser tratada de várias formas, alguns pacientes quando os sintomas são leves não necessitam de tratamento e devem ser examinados regularmente. Já os pacientes com sintomas moderados ou mais graves podem causar problemas na sua qualidade de vida e, para inverter essa situação, os doentes podem ser tratados com medicamentos ou fármacos. São vários os medicamentos e as terapêuticas com efeitos diferentes e que são adaptados para cada paciente e cada caso.

Por último, tem os casos dos pacientes que deverão ser operados ou porque a sintomatologia é muito forte e houve complicação da doença exigindo uma tomada de decisão rápida e mais eficaz que a medicação. Cada caso ou cada paciente deve ser estudado para se saber qual o tipo de cirurgia é a mais adequada.

Newsletter
Contato

Rua Barata Ribeiro, 380 - Cj 11
São Paulo - SP - 01308-000

Fone (11) 3289-5222
Fax   (11)  3289-7615